HOME
BRASILUSACANADAARGENTINAURUGUAYPARAGUAYVENEZUELA
Segunda-feira, 27 de Março de 2017
Brasilia: 23:22    Roma: 04:22
> DIRETÓRIOS DE SITES
> NOTÍCIAS
> PROMOÇÕES
> CADASTRE-SE
> COMUNIDADE
HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO
ASSOCIAÇÕES ITALIANAS
INSTITUIÇÕES
FAMÍLIAS
GENEALOGIA
CIDADANIA
MURAL DE MENSAGENS
PESQUISA DE SOBRENOME
> ITÁLIA
REGIÕES ITALIANAS
CALCIO ITALIANO
FÓRMULA 1
SPORT
CINEMA ITALIANO
ARTES & ARTESANATO
MÚSICA
GASTRONOMIA
PIZZA
VINHOS
LÍNGUA ITALIANA
EMILIA-ROMAGNA TURISMO
VIAGGIO
VILLA & CHARME
BIBLIOTECA
SHOPPING ITÁLIA
> SERVIÇOS
OUTRA ECONOMIA
CURSOS ON LINE
DAVINCI
ITENETS
TRADUÇÕES
DICIONÁRIO
TEMPO
MAPA DO SITE
> NEGÓCIOS
CATÁLOGO DE EMPRESAS
BANCO DE CURRÍCULOS
OFERTAS DE EMPREGOS
OPORTUNIDADES
CÂMARAS ITALIANAS
FEIRAS
> ADMINISTRAÇÃO
- 27
 
Notícias da Itália
ITÁLIA TERÁ REFRENDOS TRABALHISTAS
15/03/2017
O governo da Itália agendou para 28 de maio de 2017 a realização de dois referendos sobre a reforma trabalhista do ex-premier Matteo Renzi.

O primeiro deles trata da revogação da norma que regulamenta os pagamentos por pequenos trabalhos feitos sem contrato assinado, os chamados "vouchers".

A lei em vigor desde 2015 autoriza que cidadãos recebam até 7 mil euros anuais por meio dessa modalidade, mas a Confederação Geral Italiana do Trabalho (Cgil) alega que tal medida aumentou a precariedade do mercado.

Já o segundo aborda a restauração da norma que responsabiliza a empresa contratante, e não apenas a terceirizada, em casos de violações de direitos dos trabalhadores. No entanto, existe a possibilidade de o próprio governo fazer as alterações antes mesmo dos referendos.

"Temos o desafio de corrigir nos próximos dias as normas que serão objetos dos referendos que convocamos", afirmou nesta terça-feira (14) o primeiro-ministro Paolo Gentiloni, sucessor de Renzi.

Em toda a sua história republicana, a Itália já realizou 72 referendos, o que dá uma média de mais de um por ano, tendo sido o último deles em 4 de dezembro de 2016, quando a população rejeitou uma ampla reforma constitucional promovida pelo governo.

O resultado levou à queda de Renzi e à consequente ascensão de Gentiloni, que até então era ministro das Relações Exteriores.

Fonte: Ansa
Veja mais Notícias da Itália
 
 
Busca rápida:

Consulte também:
Todas as notícias Notícias do Brasil Notícias da Itália